LOADING

Digite para buscar

Compartilhe

Designers contam histórias divertidas e bizarras sobre sua profissão, desafios do dia a dia e como explicam o seu trabalho para pessoas de outras áreas

A carreira em design é desafiadora. Além de criatividade, os profissionais da área precisam ter muita paciência e jogo de cintura para lidar com pedidos bizarros e comentários sem sentindo sobre sua profissão.

Para entender os desafios e curiosidades dessa carreira, conversamos com designers que atuam em diferentes áreas. Confira esse bate papo e descubra o que um ar-condicionado, uma “tia aleatória”, bolos e sobrancelhas têm a ver com essa profissão.

O que as pessoas geralmente perguntam sobre o seu trabalho?

 

Esley Henrique, 25, designer em uma startup

“Como design enquanto disciplina é algo novo, se você comparar com medicina, engenharia ou arquitetura por exemplo, a maioria das perguntas é sobre o que os designers fazem. O que não é algo tão simples de responder porque existem várias atuações diferentes dentro de design e algumas são até outras disciplinas como design de interiores e design de moda. ”

 

 

Flávio E. Junior, 26, designer em um startup

“Geralmente me perguntam se eu desenho ou se posso deixar elas bonitas nas fotos usando Photoshop. Essas são de longe as perguntas que mais me fazem. ”

Red Bischoff, 25, designer da área de marketing

“Algumas frases que escuto são: ‘Como andam os desenhos?’ ‘Tá fazendo muito folheto?’ ‘Ah, você trabalha em gráfica, né?’ ‘Fez muita arte hoje?’ ‘Nunca sei o que você faz. Faz um logo pra mim rapidinho?’ ‘Eu também queria ser artista, mas não tenho talento. Aí fiz outra coisa’. ”

Pedro Farias, 34, designer da área de marketing

“’Você estuda designer? Então você é design’. Não, é o contrário. Eu sou designer (profissão) e faço design (curso). ‘Mas você faz o que mesmo?’ Costumam achar que eu produzo filmes publicitários”.

Como você costuma explicar o que faz?

 

“É bem complicado, mas sigo nessas linhas: ‘É tipo criar tudo o que você pode ver. Ou, resolver problemas entregando uma solução criativa, que na maioria das vezes, se soluciona de uma forma material e com peso estético/harmônico. O Design é comunicação de forma visual. ”

“Digo que faço tudo o que serve para vender um produto.”

“Explico que cuido da identidade visual de marcas no geral. Faço um estudo do que a marca quer comunicar, qual o público e como faremos. A partir daí criamos um logo, um layout de anúncio, um post nas redes sociais, um email marketing. E vou citando a infinidade de materiais que são da responsabilidade do designer. ”

“Digo que trabalho desenhando aplicativos, mas que dentro de design tem pessoas que trabalham desenhando carros, matérias de revista, capas de livros etc. É óbvio que essa é uma explicação bem reduzida – que no meio dos designers é até grosseira –, mas eu gosto de dizer de um modo que as pessoas entendam rápido. ”

Você já passou por alguma situação engraçada por causa da sua profissão?

“Uma vez uma tia aleatória veio conversar comigo e acabou puxando assunto dizendo que eu era designer e que a única coisa que faço da vida é mexer no Photoshop. Depois disso, ela ficou me mostrando milhões de fotos no celular perguntando uma a uma o que eu conseguiria fazer para deixar ela mais magra, bonita. Foi difícil manter a educação [risos]. ”

“Muitas. As piores são pensarem que trabalhamos com estética facial ou corporal. A palavra design foi incorporada por vários tipos de serviços, igual a palavra gourmet. Por exemplo, design de sobrancelhas, design de unhas e design de bolos. Designer de sobrancelhas, aliás, é uma profissão que paga até melhor, viu? [risos]. Mas a parte mais divertida são os pedidos de alteração no dia a dia: ‘Não gostei porque não é a minha cor favorita’. ”

 

Ilustração: Pedro Farias

“Estava me candidatando a uma vaga e o entrevistador perguntou: Você sabe formatar computador também? Eu achei meio estranho, mas disse que sim (apesar de não estar relacionado a formação de um designer). Em seguida, ele perguntou: Ar-condicionado também? Eu fiquei meio sem entender e respondi que não. Um outro caso aconteceu com um parceiro de freela. O dono de uma empresa foi apresentar ele ao sócio e disse: ‘Esse aqui é o novo DJ que eu contratei para ajudar a gente’. Rimos disso a faculdade inteira.”

“Uma vez disse para minha avó que estava participando de uma campanha que tinha um filme. Ela pensou que eu iria aparecer no comercial e se decepcionou quando não me viu. ”

 

Séries, filmes ou livros que todo designer deveria ver?

“Abstract: The Art of Design, que é uma série da Netflix voltada para diferentes formas de design.
Fome de Poder, a história do império do McDonald’s, que tem interessantes sacadas de marketing. O Regresso com sua fotografia extraordinária e Birdman com uma fotografia e plano sequência que inspiram qualquer um. ”

“Atualmente, a mais legal e de nicho é Abstract. Mas muitos filmes e séries tem um visual inspirador. Na real, para o designer tudo é referência. ”

“É interessante que o designer sempre assista a temáticas variadas. Mas indico Abstract e Brinquedos que Marcam Época. ”

“Alguns bons documentários sobre design são: Abstract, Objectified e Alexandre Wollner e a Formação do Design Moderno no Brasil. ”

Os entrevistados também indicaram perfis que eles seguem nas redes sociais:
@ideafixa
@ps2design
@obviousagency
@flow_magazine
@bonde.br
@agigraphic
@elainerc
@abduzeedo
@pentagram
@alexmdc
@behance
@whereshoot

E livros que vale a pena ler:
Das Coisas Nascem Coisas, Bruno Munari

The Vignelli Canon, Massimo Vignelli

Os 10 princípios do Bom Design, Dieter Rams

Conversas com Paul Rand, Paul Rand

O Design do Dia a Dia, Donald Norman

The Laws of Simplicity, John Maeda

Ilustrações: Pedro Farias

LEIA TAMBÉM:

Conheça “os emojis mais antigos do mundo”

“O que realmente importa: a roupa que você usa ou a qualidade do seu trabalho?”

CONTEÚDO PUBLICITÁRIO

Pensando em fazer Design?

Deixa seus dados aqui que a gente te ajuda nessa decisão.

Tags:
Filipe Oliveira

Do clã Kardashian-Jenner a entrevistas com CEOs, até o título mundial do Corinthians. Nessa vida de jornalista já cobri de tudo um pouco: esportes, tv e cinema, agronegócio, tecnologia, negócios, empreendedorismo e setor automotivo. Depois de uma temporada de estudos e aventuras na África do Sul, voltei ao Brasil em busca de um novo desafio. Assim vim parar na equipe que criou e produz o #TMJ.

Você vai gostar também

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *