6 coisas que você aprende em uma graduação de Relações Internacionais

Ciência política, história, direito internacional e muito mais. Coordenadora de Relações Internacionais da ESPM explica os pilares do curso

 

Quem estuda Relações Internacionais toma contato com um amplo repertório de conhecimento, uma vez que essa carreira se relaciona com o mundo em várias frentes – do comércio exterior às relações internacionais corporativas e governamentais. Ana Regina Falkembach Simão, coordenadora da graduação em Relações Internacionais da ESPM, explica os pontos mais importantes do que se aprende nessa graduação.

 

1. Sistema internacional
O curso discorre sobre conceitos importantes para se entender o mundo e quais são os personagens internacionais: estatais, governos, organizações internacionais e empresas. Quem pretende atuar nessa área precisa entender os papéis e funcionamento de cada uma dessas instituições. O aluno se depara com uma gama de conceitos importantes para o internacionalista entender como o mundo funciona.

 

2. História e culturas diversas
Não há como se relacionar com outros países sem entender sua história e cultura. Não significa estudar o Império Romano, mas voltar o olhar para a história mais contemporânea dos países e compreender como eles se comportam e como estabelecem relações com outras nações. Para trabalhar com a Ásia, por exemplo, é preciso saber suas particularidades, tomando contato com estudos estratégicos regionais e entendendo a sua sociedade.

 

3. Ciência política
Um profissional de RI precisa ter conhecimento sobre os sistemas políticos que existem no mundo para compreender suas relações com questões econômicas de mercado. Portanto, a graduação aborda os grandes conceitos fundamentais das ciências políticas. Entre os estudos, o aluno aprende as teorias de grandes pensadores da história antiga e contemporânea, ganhando entendimento sobre os conceitos políticos e econômicos que forjaram os sistemas adotados pelas nações.

 

4. Direito Internacional e Público

Na área de RI, o Direito é estudado em duas áreas: público e internacional. O primeiro lida com as regras e leis que normatizam as relações entre os países, estabelecendo o que pode ou não ser feito em casos de conflito em uma guerra ou invasão, incluindo questões de direitos humanos. O outro direito é o dos negócios internacionais, que abastece o profissional com conhecimento do que pode ou não ser feito em uma negociação internacional como entrada em um mercado estrangeiro, por exemplo.

 

5. Micro e macroeconomia

Macroeconomia é uma disciplina importante para vislumbrar o cenário econômico mundial. Analisa as grandes questões regionais, como índices de pobreza e desemprego, inflação e taxas de juros. A microeconomia, por sua vez, estuda o desempenho de um determinado setor e é importante para a tomada de decisões relacionadas a ele.

 

6. Negociação e marketing

Formação em negócios internacionais, marketing e comércio internacional é um conjunto de disciplinas que forma o background para o profissional corporativo que trabalha com comércio exterior entender todo o escopo das relações corporativas e governamentais. Isso permite a elaboração de estratégias entre empresas, governos ou empresa e governo.

 

LEIA TAMBÉM:

Relações Internacionais: tudo o que você precisa saber sobre a graduação

6 áreas de atuação para quem se forma em Relações Internacionais

Quer ver mais conteúdos do #tmj?

Preencha o formulário abaixo e inscreva-se gratuitamente em nossa newsletter quinzenal!

Você vai curtir

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on tumblr

INSCREVA-SE EM NOSSA NEWSLETTER