LOADING

Digite para buscar

Trabalhar com games: conheça 5 possibilidades

Compartilhe

Mercado aquecido é um atrativo para novos profissionais. Conheça algumas funções para quem deseja ingressar na área  

Trabalhar com algo que gostamos de verdade é, sem dúvida, um dos grandes objetivos de muitos profissionais. Essa vontade se torna ainda maior quando essa área de interesse é uma das mais promissoras e lucrativas do mercado. Esse é o caso do mercado de games.

Vince Vader, professor de Game Design na ESPM e especialista em jogos, ressalta o bom momento que vive o setor. “A indústria de games tem uma previsão de faturamento de 150 bilhões de dólares para 2021. Estamos falando de uma indústria gigantesca, que já passou cinema, já passou música. Dentro dessa indústria, a gente tem muitos papeis que podem ser ocupados”, aponta.

Para o professor, são muitos tipos de trabalho, áreas de atuação e funções que compõem o ecossistema dos games, que oferece uma diversidade de possibilidades para profissionais de diferentes áreas. “Em uma faculdade com vários cursos de graduação diferentes, é interessante possuir disciplinas que dialoguem com todas essas áreas. E a área de games é uma delas. Os games podem despertar o interesse de diversos estudantes, sejam de Design, Administração, Publicidade e Propaganda, Cinema, Jornalismo”, cita Vince.

Que tal conhecer algumas dessas possibilidades? Listamos aqui algumas das áreas em que é possível trabalhar dentro do universo dos videogames:

Jornalismo

Seja para a cobertura de lançamentos, eventos ou e-sports, o jornalismo de games é uma área em franco crescimento e há cada vez mais programas especializados no assunto em grandes veículos. Isso também aumenta a demanda por profissionais de assessoria de imprensa e relações públicas, por exemplo.

Marketing

Além do jornalismo e assessoria, ainda na área de comunicação, há muita demanda no universo dos games na área de Marketing e Publicidade. “Quando falamos em jogos blockbusters, como GTA, por exemplo, esses projetos têm um orçamento de 500 milhões de dólares, sendo que metade de tudo isso é só pra Marketing.”, comenta Vince.

Para o professor, inclusive, a área de Marketing é uma das mais consolidadas dentro do cenário de games no mercado brasileiro. “No cenário brasileiro, essa parte de marketing e eventos está muito mais amadurecida, inclusive que o setor de desenvolvimento, que ainda tem mais uns quatro anos pra estar mais consolidado.”

Gestão e administração

Grandes marcas e projetos em qualquer área demandam profissionais qualificados para gerenciar e garantir a qualidade do produto oferecido. E não é diferente com games.

Além das próprias empresas e desenvolvedoras de jogos, também há as equipes de e-sports, que possuem direitos de imagem, vínculos contratuais com atletas, patrocinadores e parcerias comerciais.

Isso mostra que, na parte gerencial do universo dos videogames, há espaço para profissionais de diferentes áreas, desde administração até direito, com demandas também no setor jurídico.

Design de games

Ligado diretamente à arquitetura do jogo, o designer de games é o responsável por planejar, desenvolver e criar toda a experiência do game para o usuário. Isso requer conhecimento específico da área, noções de programação e habilidades de comunicação e edição refinadas.

Embora existam alguns estúdios surgindo no cenário brasileiro, essa parte da indústria ainda está se desenvolvendo no país. Para Vince, a tendência é que o setor de desenvolvimento esteja mais consolidado no Brasil em até quatro anos. Para saber mais sobre essa profissão, clique aqui.

eSports

Um universo à parte dentro dos games, as equipes de e-sports oferecem diversas possibilidades profissionais.

Além de todas as atividades já citadas, equipes precisam de psicólogos, nutricionistas, fisioterapeutas e outros profissionais preparados para as demandas específicas de um time de e-sports.

E, claro, se você tiver bastante talento, ainda pode encontrar sucesso como atleta na modalidade.

LEIA TAMBÉM:

8 filmes e séries para quem curte games

O que é gamificação

“Quem quer trabalhar com games tem que jogar de tudo”

Tags:
Felipe Altarugio

Jornalista colaborador do #TMJ.

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *