Sistemas de Informação: 7 coisas que você aprende na graduação 

Coordenador do curso de Sistemas de Informação da ESPM destaca os principais pontos ensinados no curso

“O mercado de tecnologia está superaquecido e há um déficit de profissionais. Existem cerca de 70 mil a vagas a serem preenchidas por pessoas preparadas para atuar na área”, afirma Flavio Azevedo, coordenador da graduação em Sistemas de Informação da ESPM São Paulo.

 

Com esse panorama e salários atraentes, que começam por volta de 4 mil reais para analistas de teste júnior, segundo dados do site da empresa de recrutamentos Robert Half, cursar Sistemas de Informação pode ser uma boa opção para quem tem afinidade com tecnologia. Além dessa identificação, o candidato deve ter raciocínio lógico para resolver problemas. Veja a seguir 7 ensinamentos básicos que se aprende nessa graduação.

 

1. Programação

O curso ensina o uso da tecnologia como meio para a resolução de problemas, oferecendo disciplinas que envolvem programação para materializar ideias, algo essencial para que um app ou site saia do papel. O estudante tem de estar preparado para exercitar o raciocínio lógico. Veja 6 habilidades que você pode desenvolver programando.

 

2. Banco de dados 

Saber criar um banco de dados é a base para o profissional da área. No curso, aprende-se concepção do modelo de banco de dados, engenharia e visualização de dados, que permitem ao estudante se tornar um cientista ou engenheiro de dados. O engenheiro constrói a base de sustentação para que o cientista, que usa as estatísticas do banco para orientação a tomada de decisão de uma empresa, possa trabalhar. 

 

3. Criação de nuvem

O estudante aprende a implantar uma solução em uma nuvem, desde a feitura da infraestrutura da nuvem até o desenvolvimento e aplicação do seu sistema de segurança. Isso é ensinado em disciplinas distintas, mas que se complementam entre si.

 

4. Cibersegurança

Programar sistemas de previnam a invasão de uma empresa ou site é o que se aprende na disciplina de cibersegurança. Esse segmento de Sistemas de Informação tem elevada demanda de profissionais que dominem bem as técnicas de proteção, entre elas o desenvolvimento de criptografia. 

 

5. Criação de software

O desenvolvimento de um software pede um profissional com conhecimento para criar uma aplicação com excelência em engenharia. Significa desenvolver um software com padrão de qualidade elevado e que ofereça uma navegabilidade sem bugs, que não dê “pau”, ou seja, uma aplicação a prova de erro.

 

6. Desenvolvimento de wireframe, front-end e back-end

Estudar Sistemas de Informação também compreende em aprender a desenhar o wireframe, que é a estrutura base das telas de um app ou site. É o esqueleto do ambiente digital que, depois de aprovado, recebe a programação para a navegação. Na graduação também se estuda desenvolvimento de front-end, a interface do site ou aplicativo, e back-end, as funcionalidades de navegação.

 

7. Criação de games

Um bom curso oferece disciplinas que garantem uma formação substanciosa para quem deseja ingressar no mercado de games. A grade dessa disciplina vai do entendimento do funcionamento do segmento à criação de personagens, passando pela modelagem do jogo em 3D e ao UX design, entre outras habilidades. Saiba tudo sobre a profissão designer de games.

 

LEIA TAMBÉM:

Sistemas de Informação: tudo o que você precisa saber sobre a graduação


4 possibilidades de atuação para quem se forma em Sistemas de Informação

 

Quer ver mais conteúdos do #tmj?

Preencha o formulário abaixo e inscreva-se gratuitamente em nossa newsletter quinzenal!

Você vai curtir

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on tumblr

INSCREVA-SE EM NOSSA NEWSLETTER