LOADING

Digite para buscar

Como é trabalhar em uma agência de publicidade

Compartilhe

Pizzas, prêmios, concorrências e muito trabalho. Confira uma lista com situações que fazem parte da rotina de uma agência de publicidade e propaganda

Festas com gente descolada, badalação quase todos os dias e uma pitada de glamour. Sim, talvez você encontre um pouco disso em uma agência de publicidade. Mas antes de se divertir, vai precisar ter paciência, saber negociar e ralar muito.

Veja a seguir o que publicitários que atuam em agências enfrentam diariamente e confira algumas dicas para se dar bem nesse meio em que inspiração e transpiração têm a mesma importância.

Criativos, esses gênios incompreendidos…

A área de criação é uma espécie de olimpo para os estudantes de publicidade: quase todos querem trabalhar lá. Mas, seja por uma questão de perfil ou falta de oportunidade, nem todos conquistam o seu espaço ao lado dos “deuses da criação”. E quer saber? Não há problema nisso. Tenha em mente que há uma série de outras oportunidades nas agências. Quem é bom com números, por exemplo, pode se dar bem na área de métricas ou mídia. Já quem tem facilidade para se relacionar com as pessoas, talvez encontre sua morada no atendimento. É sério, tem lugar para todo mundo.    

Aqui também é trabalho, meu filho

Ao contrário do que vemos em filmes e séries de TV, o trabalho em uma agência de publicidade não é de apenas inspiração, mas também de muita transpiração. Para colocar uma campanha na rua (ou na internet), os publicitários encaram longas jornadas que exigem muito esforço físico, mental e emocional. Acredite: o processo de execução é tão complexo quanto o de criação (e muito mais cansativo).  

Os leões não são para todos

Assim como nem todos atletas olímpicos ganham medalhas de ouro e nem todos atores e atrizes são agraciados com estatuetas do Oscar, nem todo publicitário terá um Leão de Cannes para chamar de seu. Colocar a conquista de um prêmio tão disputado quanto esse como sua motivação diária poderá causar frustração. Por isso, pense apenas em fazer o seu melhor a cada dia. O reconhecimento vai ser natural.

Fica, vai ter pizza!

Em períodos de campanhas e concorrência, a pizza se torna o alimento base na dieta de sobrevivência de um publicitário. Não são raras as vezes que os colegas de agência compartilham uma redonda durante a noite (ou até de madrugada). Só não vale brigar pelo último pedaço.

Minha dupla minha vida

Uma campanha é um processo de co-criação. Nenhuma peça chega as ruas passando apenas pelas mãos do redator. Essa relação de companheirismo precisa ser ainda mais forte na área de criação, onde duplas de profissionais de arte e texto costumam ser formadas. Manter uma boa relação com o seu companheiro é fundamental para o sucesso do trabalho. Por isso, quando terminar sua parte, ofereça ajuda ao seu colega. E nunca o abandone em meio a um projeto: redator e DA devem ficar juntos até que a aprovação os separe.

Pare, pense e respire

A relação entre a agência e o cliente é bastante complexa e sinuosa. Desde a chegada de um briefing até a aprovação de uma campanha, há um longo caminho a ser percorrido. Uma peça simples, como um banner, poderá ir e voltar muitas vezes até ficar do jeitinho que o cliente quer. Por isso, até receber o tão sonhado “APROVADO”, você vai precisar de muita paciência.

E se a gente mudasse isso aqui…

Você passa horas trabalhando em uma peça e quando termina tem a sensação que fez uma obra prima digna de um Leão. Mas uma das pessoas envolvidas na aprovação simplesmente pede para você mudar tudo. O que fazer? Se você tem convicção e argumentos para provar que aquele é o melhor caminho a seguir, defenda o seu trabalho. Mas tenha em mente que muitas vezes você vai ter que dar o braço a torcer e refazer tudo. Afinal, quem paga a conta é o cliente.  

O cliente nem sempre tem razão

Briefings confusos, pedidos que não fazem sentido e prazos que simplesmente não podem ser atendidos. Quem trabalha em agências frequentemente se depara com essas situações. Uma reunião para alinhamento de expectativas com a presença das pessoas que pedem e as que executam os trabalhos pode ajudar as duas pontas a entrarem em sintonia.

Sextou? Não, vai ter concorrência

Sexta-feira, 18h. Você já está pronto para desligar sua máquina e “sextar”. De repente, seu chefe convoca uma reunião e diz que você vai precisar trabalhar no fim de semana para uma concorrência na segunda. Triste, não? Mas em alguns lugares acontece com bastante frequência.

The book is on the table

Job, deadline, briefing, brainstorming. Essas são algumas palavras em inglês que fazem parte do vocabulário publicitário. Quando você menos perceber já vai ter adotado todas elas. Só não vai trocar papel por paper e sócio por partner. Para tudo tem limite!

Essa parte da minha vida se chama felicidade

Dá trabalho para fazer, você perderá algumas noites e fins de semana. Mas quando ver um de seus trabalhos na rua, na TV ou receber um email com um elogio do cliente, certamente sentirá que todo seu esforço valeu a pena.  

LEIA TAMBÉM: Os desafios da carreira em design

Tags:
Filipe Oliveira

Do clã Kardashian-Jenner a entrevistas com CEOs, até o título mundial do Corinthians. Nessa vida de jornalista já cobri de tudo um pouco: esportes, tv e cinema, agronegócio, tecnologia, negócios, empreendedorismo e setor automotivo. Depois de uma temporada de estudos e aventuras na África do Sul, voltei ao Brasil em busca de um novo desafio. Assim vim parar na equipe que criou e produz o #TMJ.

Você vai gostar também

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *