Conheça os 6 itens mais importantes de um currículo

Coordenadora nacional da área de Carreira e Mercado da ESPM explica o que os recrutadores mais observam em um currículo  

 

Você sabia que 30% dos recrutadores levam de 6 a 10 segundos para avaliar um currículo? É o que apontou um levantamento feito pela Catho, empresa de recrutamento online, que ouviu mais de 400 recrutadores. Essa “peneira” faz com que grande parte deles só se atente ao que “realmente importa”. “Portanto, a síntese de qualificações deve ser bem objetiva”, sugere Adriana Gomes, coordenadora nacional da área de Carreira e Mercado da ESPM, que aponta os 6 itens mais importantes do CV: 

 

1. Objetivo profissional 

É importante porque mostra o quão antenado o candidato está em relação à proposta da vaga e sua capacidade de síntese quanto às suas experiências profissionais. “É preciso entender que um currículo precisa ser personalizado à candidatura: não adianta disparar um mesmo texto-padrão para empresas com objetivos e pré-requisitos variados”, alerta a professora. 

 

2. Formação acadêmica: 

É um diferenciador e pesa muito. “Ao contrário do que muitos imaginam, não é um item desprezível independentemente de quantos anos de carreira você já possui”, explica Adriana. “Não é que a escolha seja apenas por escolas de grife, mas pela relevância do conteúdo ofertado e os diferenciais conquistados pelo candidato por meio das instituições — isso porque elas podem ter focos de ensino mais ou menos amplos conforme a expertise desejada para o momento.” 

 

3. Idioma

É outro quesito que desperta a atenção, uma vez que para a maioria dos cargos um segundo ou terceiro idioma são imprescindíveis. “É cada vez mais fundamental em tempos globalizados, nos quais a internacionalização de carreiras torna-se cada dia mais comum — mesmo que você trabalhe de forma remota em seu país de origem.” 

 

4. Tempo no último emprego

Isso demonstra estabilidade e comprometimento. “Mesmo que exista essa ideia errônea de que nas startups as pessoas mais jovens passam pouco tempo e já mudam para outro emprego, não permanecer pelo menos seis meses em qualquer organização não é muito bem-visto pelo mercado. Ainda mais se isso aconteceu com frequência nos últimos anos.” 

 

5. Prêmios, resultados alcançados, destaques públicos

Mostrar o quanto você é reconhecido na área é importante. “Mas deixe para o final, para não parecer autoelogio.” 

 

6. Trabalhos voluntários

Podem agregar, mas somente se estiverem em sintonia com os propósitos e missão da empresa. “Mas, mais uma vez, pesquise sobre a organização para a qual está aplicando sua candidatura, se ela tem programas voltados a essa finalidade e divide esse propósito com o quadro de funcionários.” 

 

E se for o seu primeiro processo seletivo? 

Ah, você é recém-formado ou ainda nem começou uma graduação? Então, pode achar que não tem experiência e tempo de casa suficiente para colocar no currículo? Não é bem assim! Confira dicas de Adriana Gomes para elaborar o seu CV 

 

LEIA TAMBÉM:

8 informações que você pode remover do currículo

Quer ver mais conteúdos do #tmj?

Preencha o formulário abaixo e inscreva-se gratuitamente em nossa newsletter quinzenal!

Você vai curtir

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on tumblr

INSCREVA-SE EM NOSSA NEWSLETTER