LOADING

Digite para buscar

O que fazer em 10 situações que podem atrapalhar uma entrevista

Compartilhe

Atraso, mancha de café, unha sem fazer e muito mais. Especialista em recrutamento e seleção dá dicas sobre como um candidato deve agir em situações inesperadas antes e durante uma entrevista

Está atrasado ou chegou muito cedo, roupa amassada ou com mancha de café, unha sem fazer ou cabelo bagunçado, pegou chuva e se molhou todo. Situações como essa podem acontecer com qualquer candidato que vai passar por uma entrevista. Mas sempre tem um jeito de resolver ou reduzir os danos desses problemas.

Para saber qual a melhor maneira de se comportar nessas e em outras situações, consultamos Adriana Gomes, líder do programa de integração nacional de carreiras da ESPM e diretora do site Vida&Carreira. Confira a seguir o que a especialista nos contou:

1 – Vou atrasar

“Imprevistos podem acontecer, mas quando você informa o entrevistador que vai chegar atrasado, você mostra que tem interesse. Diga que está a caminho, que vai chegar alguns minutos atrasado, peça desculpas e agradeça a compreensão”, sugere Adriana. “Só não vá fazer como um candidato fez comigo uma vez, ligou dizendo que perdeu a hora porque estava dormindo e perguntou se podia fazer a entrevista por telefone.”

2 – Celular descarregou e não conseguiu avisar sobre o atraso

“Conta a história. Acho importante sinalizar que está em um dia de má sorte, mas que sua entrevista vai ser um sucesso”, diz Adriana. “Informe sempre as pessoas e peça desculpas de maneira sincera.”  

3 – Cheguei muito cedo

“Acho que chegar uns 15 ou 20 minutos antes é de bom tom. Inclusive, para que a pessoa respire, vá ao banheiro, faça uma leitura do ambiente e das pessoas que estão lá”, comenta Adriana. “Mas se chegar muito mais cedo do que isso, vá dar uma volta, tomar um café.”

4 – Confundi o dia e fui antes da data marcada

“É melhor ir embora e voltar no dia certo.”

5 – Não consegui fazer a unha

“O que importa não é a unha estar feita, mas o asseio geral. Estar com o cabelo arrumado e uma maquiagem leve. Se a unha não estiver pintada, mas estiver arrumadinha, não tem problema nenhum. A questão é o aspecto de asseio geral, uma roupa limpa, bem arrumada.”

6 – Roupa suja ou amassada

“É melhor não comentar nada, a menos que seja algo como ter caído café na sua roupa. Aí diz ‘Aconteceu um acidente antes de eu entrar, me sujei de café’. As pessoas se solidarizam porque pode acontecer com qualquer um. Agora, se a roupa está suja ou amarrotada, não tem muito jeito. É sinal de que o cara não está nem aí”, afirma Adriana. “Camisa social amarrotada, o recrutador já olha meio de lado. É sinal que o cara nem tem intimidade de andar com esse tipo de roupa”.

7 – Errei o look

“Não importa o que você justifique, já conta ponto negativo. Porque se vai fazer entrevista em um escritório de advocacia, por exemplo, com uma roupa esporte, já está fora”, afirma Adriana. “Imagine chegar a uma startup de terno azul, camisa branca e pastinha. Já não tem fit com o negócio”.

8 – Peguei chuva e me molhei

“Imprevistos acontecem. Essa é a hora de tentar buscar a empatia da outra parte e explicar o que aconteceu. ‘Estava vindo para cá e atravessando a rua aconteceu isso. Estou envergonhado por estar desse jeito’. É a mesma regra do café”.

9 – Meus pais querem ir

“É ruim. Ao menos que seja vaga para menor aprendiz, aí dependendo da vaga é até importante os pais estarem junto. Mas acho que só nesse caso é aconselhável. Em outros casos, o pai pode até levar, mas é melhor deixar na porta e não subir com o candidato.”

10 – A vaga não tem nada a ver comigo

“Por educação, vá até o final da entrevista. Se a pessoa perguntar se você tem interesse, aí você pode dizer ‘Agradeço, mas a proposta nesse momento não faz sentido para mim’, colocando-se à disposição para uma outra oportunidade.”

Recomendações finais:

De acordo com Adriana, antes de ir para a entrevista é fundamental fazer uma pesquisa sobre a empresa para entender seus negócios e quem são as companhias do mesmo segmento. “É importantíssimo conhecer a empresa, o negócio, seus produtos, em qual lugar ela está no ranking do seu segmento e entender também um pouquinho de sua história”, afirma a especialista.

Adriana também recomenda que o candidato pesquise quem são as pessoas com quem vai conversar na entrevista. “Procure se informar sobre quem é o gestor da vaga e com quem vai conversar na entrevista para buscar afinidades. Dê um Google, porque as pessoas também dão um Google em você”.

Tags:
Filipe Oliveira

Do clã Kardashian-Jenner a entrevistas com CEOs, até o título mundial do Corinthians. Nessa vida de jornalista já cobri de tudo um pouco: esportes, tv e cinema, agronegócio, tecnologia, negócios, empreendedorismo e setor automotivo. Depois de uma temporada de estudos e aventuras na África do Sul, voltei ao Brasil em busca de um novo desafio. Assim vim parar na equipe que criou e produz o #TMJ.

Você vai gostar também

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *