LOADING

Digite para buscar

Como era fazer ligações antes dos smartphones

Compartilhe

Telefone fixo por R$ 5 mil e chamadas que custavam mais de R$ 1 por minuto foram alguns dos desafios enfrentados pelos usuários

Orelhão, DDD, R$ 1 por minuto, chamada a cobrar com 9090. Que nos perdoem os saudosistas, mas se nada disso faz sentido para você, sinta-se um privilegiado. Você nasceu em uma época de ouro para a telefonia, ao menos do ponto de vista dos usuários.

Em nosso novo post da série Como Era, te contamos como era fazer ligações em um mundo sem smartphones ou aplicativos. Para aceitar nossa chamada, “continue na linha após a identificação”…

O telefone do povo

Como uma linha telefônica custava uma fortuna, a maioria das pessoas utilizava orelhões (telefones públicos instalados nas ruas. Ainda existem alguns deles por aí). Para fazer uma ligação, era preciso comprar fichas e, anos mais tarde, cartões. Sortudos que tinham um telefone em frente de casa costumavam passar o número para seus amigos e familiares ligarem para lá. Já quem não tinha essa sorte, combinava horários e esperava as ligações em frente ao aparelho. O duro era lidar com a pressão e a falta de privacidade, já que filas se formavam para usar o orelhão.

Telefone em casa era ostentação

Hoje quase ninguém dá bola para telefones fixos, mas ter um aparelho em casa já foi sinal de status. Antes da privatização da telefonia no Brasil, que ocorreu no final da década de 1990, era preciso desembolsar até R$ 5 mil para comprar e instalar uma linha na residência. Mas dinheiro não bastava, também era preciso ter paciência, já que a instalação podia demorar dois ou três anos para ser realizada.  

DDD, DDI

Se você não conhece essas siglas, considere-se um privilegiado. Ligações para outros estados e países eram bem caras. E quando esses códigos: Discagem Direta à Distância (DDD) e Discagem Direta Internacional (DDI) apareciam na conta, muita gente se desesperava. A parte boa é que o DDD nos rendeu esse comercial fofo:

9090

“Chamada a cobrar: diga seu nome e a cidade de onde está falando”. Uma mensagem clássica, que todo mundo que já fez uma chamada a cobrar já ouviu. Bastava colocar o 9090 na frente do número e a pessoa que recebia a ligação era quem pagava. Quer se divertir um pouquinho? O 9090 ainda funciona!

Telefone móvel

Com a popularização dos celulares, tudo ficou mais fácil. Quer dizer, nem tanto assim. Por muito tempo, as operadoras de telefonia cobraram as chamadas por minuto – em alguns casos, míseros 60 segundos custavam mais de R$ 1. Mal dava para dar um oi. Felizmente, aos poucos as empresas passaram a oferecer planos com ligações gratuitas para telefone fixo ou da mesma operadora.

Chama no zap

O WhatsApp chegou e o jogo mudou. Com a possibilidade de enviar áudios e fazer chamadas via internet pelo próprio aplicativo, as ligações tradicionais caíram em desuso e o pacote de voz das operadoras perdeu valor. Aliás, você lembra qual foi a última vez que fez uma ligação sem usar o zap?

Tags:
Redação #TMJ

Produzido pelo Núcleo de Conteúdo da ESPM.

Você vai gostar também

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *