Como escolher uma profissão: confira 5 pontos a se levar em conta

Especialista em carreiras elenca 5 pontos fundamentais para te ajudar a decidir o que estudar

 

Escolher uma graduação nem sempre é fácil – e muitas vezes o candidato a um curso superior não sabe por onde começar. Isso é natural, porque realmente não é simples ter 18, 19 anos e já possuir uma noção mais bem formatada da carreira que se pretende construir. A coordenadora nacional da área de Carreira e Mercado da ESPM, Adriana Gomes, lista 5 pontos para ajudar quem se sente perdido na escolha do que estudar.

 

Quem sou eu?

É normal um jovem não saber ao certo com o que gostaria de trabalhar, porque não se pode esperar que uma pessoa que não chegou aos 20 anos de idade tenha maturidade e vivência para uma escolha profissional. Mesmo porque não existe mais a ideia da “carreira para a vida” no mundo do trabalho atual. Por esse motivo, é importante a pessoa se dedicar ao autoconhecimento buscando entender suas preferências e aptidões. Nesse sentido, a especialista em carreira sugere que a pessoa busque sites confiáveis de testes vocacionais e comportamentais como a Bhetta, a Cia de Talentos, a Educa Mais e a Udemy, que ajudam ao autoentendimento de preferências e habilidades.

 

Quais caminhos posso trilhar?

De maneira geral os estudantes têm uma visão macro de carreiras tradicionais como medicina, direito, odontologia, administração, jornalismo e veterinária, por exemplo, mas não conhecem as novas profissões, nas quais há muitas oportunidades de trabalho e de desenvolvimento. Portanto, é muito válido se informar sobre carreiras que acha interessante, buscando por “novas carreiras” na internet para encontrar reportagens e textos informativos que possam ampliar as possibilidades de escolha.

 

Onde estudar?

Uma vez definido o tipo de profissão que mais se encaixa em seu perfil, estudantes devem verificar as credenciais da instituição que oferece o curso que desejam. A melhor base para isso é o MEC, que mantém um banco de dados com a pontuação das faculdades brasileiras. O portal Educa Mais Brasil tem um guia online que orienta como fazer essa consulta.

 

O que o mercado quer?

Um aspecto que os estudantes geralmente não levam em consideração é a demanda do mercado na região em que moram. Se uma pessoa não pode ou não quer mudar de cidade ou de estado, não faz muito sentido escolher uma carreira que não tenha demanda onde ela vive. Por isso compensa investir horas pesquisando nos sites de ofertas de emprego como LinkedIn, Indeed e Catho para entender as necessidades regionais dos contratantes. E enquanto faz essa busca, deve-se aproveitar para observar com atenção os requisitos das vagas para analisar se encaixam em seu perfil.

 

A escolha não é definitiva

Uma carreira não é para toda a vida e pode acontecer de o aluno perceber, ainda no primeiro ano da graduação, que escolheu o curso errado. Isso é natural e não tem problema querer mudar de rota. Portanto, a dica é não abrir espaço e se alimentar de frustração ou do sentimento de você não escolheu corretamente. Claro que essa escolha envolve um investimento, por isso fizemos esta reportagem para te ajudar a chegar mais perto do alvo. Mas o que queremos dizer aqui é que não tem problema resolver mudar de rota, porque isso acontece com todo o tipo de profissional e em várias fases da vida.

 

LEIA TAMBÉM:

Como escolher faculdade: 7 dicas para fazer a escolha certa


Qual trabalho ou carreira escolher: confira 7 dicas

Quer ver mais conteúdos do #tmj?

Preencha o formulário abaixo e inscreva-se gratuitamente em nossa newsletter quinzenal!

Você vai curtir

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on tumblr

INSCREVA-SE EM NOSSA NEWSLETTER