9 áreas de atuação para quem se forma em Jornalismo

A transformação digital abriu novos caminhos para o jornalista. Conheça os principais

 

 

“Tudo o que se descobre no Brasil é por meio da imprensa. Em dois anos de coronavírus, se não fosse a imprensa trazer as informações para a população, como estaríamos?”, questiona Maria Elisabete Antonioli, coordenadora de Jornalismo da ESPM em São Paulo. Ao lançar essa reflexão, a especialista coloca na mesa a importância de haverem jornalistas bem formados para exercer a profissão em diversas áreas. Conheça as principais em que os jornalistas têm atuado:

 

 

Imprensa tradicional

Jornal, revista, rádio e TV sempre vão existir. Mesmo que muitas empresas tenham migrado para o ambiente digital ou sejam híbridas, como os jornais e revistas que seguem sendo impressos, esses veículos precisam de bons jornalistas. O mercado pede profissionais curiosos e com capacidade investigativa para dissecar dados, já que hoje há uma enorme quantidade deles circulando por aí e saber extrair o melhor caldo dessas informações resulta em reportagens de peso, sempre focadas no princípio que rege a profissão: trabalhar a serviço da sociedade entregando informação de qualidade.

 

 

Veículos digitais

O jornalismo sempre se moldou às grandes transformações da humanidade desde a era agrícola, passando pela revolução industrial e agora se adaptando à era digital. Portanto, é natural terem surgido novas plataformas e modelos de negócio. Nesse sentido, surgem os nativos digitais, que são os veículos de comunicação nascidos dentro de um computador. Dois exemplos relevantes são o jornal Nexo e a Agência Pública, que se dedicam ao jornalismo investigativo com reportagens de conteúdo profundo. Além deles, há os sites segmentados, dedicados a temas específicos que alimentam o público com apurações bem-feitas e com abordagens inéditas ou diferenciadas da grande imprensa.

 

 

Agências de fact checking

A escalada das fake news impulsionou o surgimento das agências especializadas em checagem de notícias. Assim, jornalistas esmiúçam dados e informações para desmentir as inverdades que circulam em redes sociais, sites e blogs. É um trabalho tão importante que no Brasil existem consórcios de veículos de imprensa para contribuírem com a checagem, mostrando cada vez mais a importância do jornalismo para o mundo.

 

Comunicação corporativa

É uma área interessante porque o jornalista trabalha com informações de uma organização. Escreve textos para o público interno e externo, coordena site e redes sociais, faz mídia planing e se envolve com o que a empresa quer e deve comunicar. Apesar de existirem agências especializadas nesse segmento, há empresas que preferem ter a sua própria equipe a fim de estarem mais alinhadas com o seu público.

 

 

Agências de comunicação

São as antigas assessorias de imprensa, que hoje atendem empresas em várias frentes. O trabalho pode ir da elaboração de material de comunicação interna, releases para a imprensa, organização de entrevistas coletivas, conteúdo de redes socais e trabalhos da área de marketing, além da produção de relatórios anuais e qualquer outro tipo de material de divulgação da organização.

 

 

Assessoria de imprensa

São profissionais de órgãos públicos, autônomos ou de agências. Esses últimos atendem personalidades de diversas áreas e respondem às demandas de jornalistas da mídia e de outros setores. Um assessor cuida da imagem do seu cliente podendo, inclusive, transformar o seu papel por meio da comunicação construtiva, que é quando a personalidade se vale da sua projeção para encampar uma causa na qual acredita que possa beneficiar a sociedade, o meio ambiente ou os animais, por exemplo.

 

Redes sociais

As redes sociais deram voz a todo o tipo de pessoas e é nelas que o jornalista tem papel de destaque no sentido de informar na essência da palavra. Independentemente de escrever para um perfil de notícias ou um voltado a alimentação saudável, baseado na sua aptidão de pesquisar, buscar as melhores fontes e confirmar fatos, o jornalista informa sem opinar. Ele produz conteúdo confiável e gerencia páginas de uma marca ou personalidade, focado em estabelecer um vínculo entre a mensagem e o receptor. Veja como veículos de imprensa estão atuando no TikTok.

 

 

Podcasts

Eis um nicho que vem ganhando fôlego e representatividade. Além de ser usado por veículos de comunicação para a divulgação de notícias no estilo “o que aconteceu de mais importante no dia”, o podcast é uma ótima plataforma para se contar boas histórias. Nela é possível fazer um tipo de jornalismo on demand, em que o público escolhe quando e onde quer ouvir uma grande reportagem em capítulos. Um profissional empreendedor pode ter sucesso nesse nicho oferecendo conteúdo jornalístico diário ou segmentado. Conheça 12 podcasts jornalísticos.

 

 

Storytelling

De maneira geral, quando se fala em storytelling a mente remete a uma ação de marketing. Mesmo que seja, muitas agências contratam um jornalista para escrever o storytelling porque ele sabe contar histórias bem e faz a filtragem necessária do que é importante, a partir de uma boa coleta de informações. O profissional que trabalha nessa função não escreve como o jornalista clássico, que se aprofunda, mas transita bem entre o entretenimento e o jornalismo.

 

LEIA TAMBÉM:

Jornalismo: tudo o que você precisa saber sobre a graduação

Quer ver mais conteúdos do #tmj?

Preencha o formulário abaixo e inscreva-se gratuitamente em nossa newsletter quinzenal!

Você vai curtir

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on tumblr

INSCREVA-SE EM NOSSA NEWSLETTER