6 áreas de atuação para quem se forma em Cinema e Audiovisual  

O profissional desse segmento não trabalha apenas fazendo filmes, séries ou novelas. Há outros campos de atuação, conforme explica professora da ESPM 

 

Tem muita coisa interessante para ser feita no segmento de cinema e audiovisual por quem se gradua na área. “O egresso pode trabalhar em longas do cinema tradicional e até como restaurador e digitalizador de filmes em película”, diz Tainá Xavier, professora de Direção de Arte do curso de Cinema e Audiovisual da ESPM no Rio de Janeiro.

 

Ela explica que a cadeia do audiovisual tem três elos principais: produção, distribuição e preservação. Esses se referem à feitura de um produto e à conservação da memória audiovisual. O profissional que ingressa no mercado de trabalho também pode atuar no setor público, além de dar aulas e organizar mostras, festivais e cineclubes. Para você entender melhor, confira as 6 principais áreas de atuação em Cinema e Audiovisual:
 

1. Produção

Tudo o que envolve um filme, série ou novela, do roteiro até o produto pronto, se concentra na produção. Isso inclui filmar, montar, fazer a edição de som e a correção de cor das imagens. Aqui atuam vários profissionais, entre eles o produtor executivo, os diretores do filme, de arte e de fotografia. Roteiro, continuidade, figurino, maquiagem, técnicos de som, trilha sonora e tudo o que se refere à execução do audiovisual é produção. 

 

2. Distribuição e difusão

Com o produto pronto, é hora de fazê-lo circular, seja em uma sala de cinema, na televisão ou em DVD. Isso é feito junto às distribuidoras de cinema, os circuitos de mostras e de festivais (que também podem ser escolhidos e definidos pelo produtor executivo) e exibição em cineclubes.  

 

3. Preservação

Existem instituições nacionais como a Cinemateca Brasileira, as cinematecas estaduais e a próprias produtoras, que entendem a importância de guardar filmes. Muitas vezes as cópias físicas em película estão em processo de deterioração e é necessário um trabalho de restauração de matrizes antigas e de digitalização. Hoje, muitos profissionais dessa área vieram das escolas de Cinema, fazendo essa gestão de acervos, incluindo os particulares, de filmes caseiros. 

 

4. Políticas públicas

Há um caminho para os profissionais da área trabalharem em órgãos governamentais como a Agência Nacional do Cinema, secretarias municipais e estaduais de cultura organizando festivais, mostras, simpósios e cursos livres para comunidades, entre outras ações.  

 

5. Educação e cultura

O graduado pode cursar uma pós-graduação ou mestrado para dar aulas e eventualmente realizar pesquisas em áreas de seu interesse. Com seu conhecimento pode conceber cursos, simpósios, fazer curadoria de festivais e mostras ou projetos culturais como cineclubes. Há casos em que uma pessoa se forma em Cinema porque gosta do tema, mas prefere se dedicar à crítica em vez de trabalhar na área de produção.

 

6. Ambiente digital

O audiovisual se popularizou demais nas redes sociais e hoje a demanda pela criação de produtos para esse nicho ampliou as janelas convencionais do cinema e da televisão. Com as tecnologias portáteis, o aumento da velocidade da internet e as redes sociais há muitas oportunidades de trabalho para quem se forma em Cinema e Audiovisual. O YouTube, por exemplo, tem sido uma vitrine para webséries, além dos tradicionais clipes. Outra possibilidade são os cursos online e a produção de material para empresas, como vídeos corporativos ou de treinamento.

 

LEIA TAMBÉM:

Descubra os salários de quem se forma em Cinema e Audiovisual

Cinema e Audiovisual: 6 coisas que você aprende na graduação

Quer ver mais conteúdos do #tmj?

Preencha o formulário abaixo e inscreva-se gratuitamente em nossa newsletter quinzenal!

Você vai curtir

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on tumblr

INSCREVA-SE EM NOSSA NEWSLETTER