LOADING

Digite para buscar

Reflexões sobre a natureza humana em ‘O Senhor das Moscas’

Compartilhe

Obra de William Golding, obrigatória em várias escolas dos EUA, conta a história de garotos britânicos que ficaram presos em uma ilha deserta após o avião em que estavam cair

Por Gabriela Fernandes

O debate sobre a verdadeira natureza do homem sempre será uma das maiores questões existenciais discutidas no mundo. Será que somos apenas seres selvagens que têm sede por poder? Será que as guerras são inevitáveis? Essas são algumas das temáticas presentes no clássico O Senhor da Moscas de William Golding, uma obra obrigatória em várias escolas dos Estados Unidos.

Situado no período pós Segunda Guerra, o livro conta a história de um grupo de garotos britânicos que ficaram presos em uma ilha deserta após o avião em que estavam viajando cair. O que se destaca no enredo é que enquanto tentam sobreviver, eles precisam arranjar algum jeito de se auto-governarem. E é exatamente aí que está o problema: com opiniões muito divergentes, fica difícil de encontrar uma forma que todos concordem.

Algo que torna o livro ainda mais atrativo é a história de vida de William Golding e o que o levou a escrever esse clássico. O autor serviu a bordo de um destróier britânico durante a guerra e se tornou um tenente da Marinha Real. Antes disso, Golding dava aulas de filosofia em uma escola particular para garotos. Quando ele voltou da guerra, deu de cara com as duas maiores potências do mundo ameaçando uma a outra com bombas nucleares. Isso fez com que o professor começasse a questionar sobre as origens da natureza humana. Essas constantes reflexões sobre a violência (talvez) inevitável do ser humano o levaram e escrever o tão famoso O Senhor das Moscas.

O título é um tanto estranho e não parece se relacionar com a história à primeira vista, porém, ele vem de Belzebu, o demônio associado ao orgulho e à guerra (os dois assuntos centrais da trama). Além disso, o clássico é uma sátira à narrativa problemática de que os conhecimentos dos europeus eram superiores a quaisquer outros. Golding aborda isso na obra transformando os garotos em nativos selvagens que destroem uns aos outros em busca de poder.

Histórias de pessoas presas em uma ilha já se tornaram repetitivas, abordando narrativas mais divertidas e focadas na aventura. Porém, o O Senhor das Moscas traz elementos mais sombrios e reflexões mais profundas que o diferencia das tramas tradicionais.

O canal do YouTube Ted-Ed fez um vídeo contando esses e vários outros motivos para ler essa obra:

Se interessou pela história? A obra de William Golding também foi adaptada para os cinemas. Assista ao trailer:

LEIA TAMBÉM:

10 livros que todo estudante de jornalismo deveria ler

Perfil no Instagram conta a história de uma adolescente judia na época do Holocausto

Como Stephen King ajuda novos autores

Tags:
Newronio ESPM

Blog sobre criatividade escrito pelos alunos do Arenas ESPM, agência experimental do curso de Publicidade e Propaganda da ESPM.

Você vai gostar também

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *